DSC 0006 

Mês da luta contra o câncer de próstata. Faça exames regularmente.

A prevenção é o melhor tratamento

 

O mês de novembro é internacionalmente dedicado às ações relacionadas ao câncer de próstata e à saúde do homem. O câncer de próstata é o segundo tipo que mais mata brasileiros, atrás apenas do câncer de pele. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), estima-se mais de 68 mil novos casos da doença em 2019. Esses valores correspondem a um risco estimado de 66,12 casos novos a cada 100 mil homens, além de ser a segunda causa de morte por câncer em homens no Brasil, com mais de 14 mil óbitos.

 

Santa Casa de Jahu tem o compromisso com a saúde e alerta a comunidade sobre as principais doenças que acometem a população masculina, destacando as formas de detectá-la antecipadamente e ajudando a tirar o estigma dos exames que ajudam nas rotinas de check-up médico.

 

“A próstata é uma glândula presente apenas nos homens, localizada na frente do reto, abaixo da bexiga, envolvendo a parte superior da uretra (canal onde passa a urina). Sua função é produzir um líquido que compõem parte do sêmen que nutre e protege os espermatozoides”, explica o urologista da Santa Casa de Jahu, Dr. Estevam Fernandes Luna.

 

Nos estágios iniciais, o câncer de próstata não costuma apresentar sintomas e, por isso mesmo, as visitas anuais ao urologista são tão importantes para a detecção precoce. Dificuldade para urinar pode ser sintoma de câncer, mas também da hiperplasia benigna e só um médico pode fazer o diagnóstico correto.

 

Uma consulta é necessária quando o homem apresentar alguns dos seguintes sintomas:

- Urinar pouco de cada vez

- Ir ao banheiro com frequência, levantando até no meio da noite para urinar
- Dificuldade ou demora para urinar

- Sensação de esvaziamento incompleto da bexiga após urinar

- Presença de sangue na urina e/ou sêmen

- Ejaculação dolorosa

 

Dr. Estevam destaca que os fatores de risco para desenvolver câncer de próstata são: idade a partir dos 45 anos (principal faixa etária: 45 aos 70 anos ); histórico da doença na família (pai, irmãos, tios); ser da raça negra (maior incidência) e a obesidade.

  

 O diagnóstico só é possível por meio de dois exames:

Exame de PSA: PSA (sigla em inglês do antígeno prostático específico) é uma substância normalmente produzida pela próstata, e que está presente no sêmen e no sangue.

Exame de toque retal: serve para identificar áreas irregulares ou endurecidas na próstata. È capaz de detectar tumores mesmo que o teste de sangue PSA esteja normal. Cerca de 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados somente pela alteração no toque retal.

 

Infelizmente, ainda há muito preconceito com esse exame. Aproximadamente dois terços dos homens brasileiros não se submetem ao toque retal de rastreamento.

 

O tratamento para este câncer é oferecido, de forma integral e gratuita, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) e  pode ser feito por uma ou várias modalidades/técnicas: “A escolha do melhor tratamento é feita individualmente, pelo urologista, caso a caso, após definir quais os riscos, benefícios e melhores resultados para cada paciente, conforme estágio da doença e condições clínicas do paciente” comenta.

 

A cada dia 40 homens morrem em decorrência do câncer de próstata. Se descoberto precocemente, o câncer pode ser combatido com certa facilidade. O Urologista garante que mais de 90% dos casos inicias têm cura. Porém, por se tratar de uma doença que não apresenta sintomas no começo é necessário fazer os exames de toque e sangue a partis dos 45 anos, preferencialmente.

 

Para diagnosticar precocemente os casos é preciso romper com o preconceito que atrapalha a prevenção e infundir a importância da conscientização e informação sobre o tema. É fundamental que os homens estejam atentos à sua saúde e sinais do organismo para observarem qualquer alteração e sintomas, e não hesitarem em procurar um médico para esclarecer dúvidas e realizar o exame anual de prevenção. 

 

 

 

capa info 87