Dr. Marcos Barnese Nefrologista

 

A Santa Casa de Jahu chama a atenção para a prevenção da Doença Renal Crônica (DRC). Dados da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) mostram crescimento anual da doença, que tem sintomas e evolução silenciosos. Contudo a DRC se torna previsível quando o paciente faz parte do grupo de risco e não busca orientação médica.

 

Segundo o chefe do Serviço de Nefrologia da Santa Casa, Dr. Marcos Roberto Colombo Barnese, as pessoas com pressão alta, diabéticos, os obesos e aqueles que tem familiares com histórico de Doença Renal Crônica, são mais suscetíveis a piora da função renal. Estão no grupo de risco também os fumantes, cardíacos e quem tem mais de 50 anos. O nefrologista afirma que 70% dos pacientes com hipertensão ou diabetes, que precisam de hemodiálise no hospital, não sabiam que tinham doença renal ou não fizeram tratamento adequado.

 

O especialista aconselha o acompanhamento médico regular e mudanças de hábito, não se limitando ao uso de medicamentos. Ele destaca que as dietas alimentares e a atividade física são extremamente importantes na prevenção da doença renal. De acordo com o Dr. Marcos há um novo grupo que deve estar atento para não sobrecarregar o trabalho dos rins. É o de jovens que consomem suplementos de proteína de forma inadequada ou fazem uso de medicamentos anabolizantes, alguns deles proibidos por lei.

 

A Sociedade Brasileira de Nefrologia aponta que 10% da população mundial tem Doença Renal Crônica. No Brasil 18% das pessoas tem diagnóstico de Diabetes e 20% sofre de pressão alta. Ainda entre os brasileiros 18% são fumantes e metade da população está acima do peso. A taxa de mortalidade por DRC no país é de 15% ao ano. Atualmente mais de 120 mil brasileiros fazem hemodiálise, sendo que na região 156 pessoas estão em tratamento dialítico regular na Santa Casa de Jahu. 

 

 

 

capa info 86